9.2.07

Impossível

Passei o dia inteiro chocada. Mas meu choque nada tinha a ver com a enxaqueca desgraçada que me pegou.
Achei que o Brasil já tinha visto de tudo em termos de violência. Ônibus queimado, repórteres assassinados de forma brutal, rebeliões de presos, massacre de presos, cidades reféns do PCC, polícia matando inocentes, roubos, roubos, roubos, todo o tipo de assassinato (pelos mais fúteis motivos), balas perdidas... E tudo isso abala. Tudo isso choca. Tudo isso faz com que a gente questione "onde esse país vai parar assim".

Pois bem. Hoje qualquer limite foi superado. Hoje senti medo como jamais havia sentido. Hoje me emocionei com a história de alguém que nunca vi. Me emocionei mesmo.

João Hélio era um menino faceiro. João Hélio era um menino hiperativo. João Hélio tinha só 6 anos. João Hélio adorava futebol. Na terça-feira, João Hélio marcou seu primeiro gol. Primeiro e último. João Hélio foi arrastado no asfalto por sete quilômetros pelos bandidos que roubaram o carro da família dele.

Não há mais o que esperar do Brasil em termos de violência. Ele era só uma criança!! E morreu da maneira mais dolorosa que se pode imaginar. E sua mãe e sua irmã viram ele sendo arrastado, o início do sofrimento. Que desespero. Que dor. Não tem como descrever isso.

Só rezo pra que a família do João Hélio encontre alguma paz a partir de hoje.

“É um crime brutal que choca todos nós. Demonstra a brutalidade dos criminosos.”
Gilberto Ribeiro, chefe da Polícia Civil do Rio

“O sargento (que atendeu à ocorrência) ficou tão emocionado que não conseguiu fazer o relato por rádio. Existe um ser humano na farda.”
Coronel Ubiratan Ângelo, comandante da PM fluminense

“São monstros. Testemunhas contaram que a criança quicava no asfalto. As pessoas nas ruas gritavam para que eles parassem.”
Hércules Pires do Nascimento, delegado

“O barulho parecia ser de um papelão sendo arrastado.”
Diógenes Alexandre,24 anos, advogado que viu o menino sendo arrastado

“Não foi só o Joãozinho quem foi embora. A família acabou.”
Andréa Tavares, amiga da família de João

1 comentário:

Lafayette disse...

Tava um tempo sem passar por aqui.

Gostei do novo visual! ;-)

A questão só será resolvida quando se adentrar na caixa preta do Poder Judiciário.

Só alterar leis e procedimentos policiais não resolve.

Os "corredores dos fóruns" revogam qualquer lei.