3.6.07

Da série MI BUENOS AIRES QUERIDO I

como diria Jack, vamos por partes!
Amei Buenos Aires! Amei mesmo! A cidade é muito legal, muito bonitinha, muito organizadinha e com um traçado facílimo de andar.
Mas como não dá pra contar tudo num post só, vamos contando aos pedaços.

Minha viagem começou tendo tudo pra dar errado. Tava realmente muito estressada antes de sair de férias. E comecei elas do mesmo jeito. A viagem começou e a impressão que eu tinha é que deveria ter ficado em casa, embaixo da minha cama só me lamentando.

Saí de casa pra ir ao aeroporto meio atrasadinha, mas dentro do tempo. De Gravataí até lá levo uns 20 minutos. Meu vôo era às 9h. Saí de casa às 7h50. Eu não contava com um acidentezinho na freeway. Cheguei pra fazer o check in exatamente às 8h32.
- O check in pra Buenos Aires era só até às 8h30. Tu não vai poder embarcar.
Bah, o mundo caiu. Por 2 minutos!!!!!!!!! Tentei argumentar, dar jeitinho, qualquer coisa. Nada. Disseram que teria que pagar as taxas e ir noutro vôo. Comecei a chorar. Compulsivamente. Meses de cansaço e estresse pessoal e profissional vieram à tona. Minha conta já não tinha mais 1 centavo. Que dirá mais 160,00. Pensei em desistir. Azar. Vai ver não era pra ir mesmo. No balcão da Gol a única opção que a guria me deu foi pagar os 160,00. Ela nem me disse do que era.
Comecei a ir atrás de alternativas. Liguei pra Jana. Afinal, ela tinha uma passagem que não usaria. Ela se informou pra mim e disseram que eu poderia remarcar o vôo pagando só 80,00. A metade. Comecei a ver uma luz no fim do túnel. Liguei pra Gol e explicaram que se eu quisesse embarcar no mesmo dia deveria pagar a multa por não ter embarcado mais uma diferença de tarifa. mas que se eu fosse no outro dia de tarde (no vôo que passa por São Paulo), eu pagaria só a multa e tudo resolvido. Marquei o vôo pro dia seguinte de tarde.

Cheguei bem cedinho. O sistema estava fora do ar. Putamerda! Mas como o problema era no sistema deles, eu estava lá com a devida antecedência, achei que embarcaria. A saída de poa era 13h40, chegada em sampa prevista pra 15h10 e saída de guarulhos pra buenos aires as 17h30. dá tempo pra tudo. No fim o vôo saiu só com 10 minutos de atraso. Fizeram o check in daquele povo todo em 10 minutos e não atrasou a chegada em SP.

Tenho um probleminha com aviões. Não se pode fumar dentro deles. Tudo bem que era um vôo rápido, mas o fato de saber que EU NÃO POSSO SOB HIPÓTESE NENHUMA me deixa com um certo pânico. Descendo em SP, fui correndo pra rua fumar um cigarro atrás do outro. uma delícia. depois fui comer alguma coisa rápida e já estava pensando que horário poderia fumar o último cigarro antes de embarcar pra Bs As. De repente saio do Mc Donalds (refeição super saudável!) e dou uma espiada na fila do embarque internacional... e me apavoro!!!!!!! dava voltas no aeroporto. Levei 20 minutos entre os dois cigarros e o rango. Faltava quase 2 horas pro embarque. Mas nem pensei, me meti naquela fila. Era pior que fila do INSS. Uma coisa horrorosa e ridícula. Não lembrava que a polícia federal tava naquela naba de operação padrão. mas tava. e eles tavam atendendo só quando queriam. Entrei às 15h45 na fila. Passei para o embarque só às 18h30. E o vôo só saiu de Guarulhos às 20h30 - justamente o horário que era pra eu desembarcar na Argentina e que alguém estaria me esperando.

Esse é outro ponto: alguém ESTARIA me esperando. Como atrasou horrores - chegamos meia noite em ezeiza -, não tinha ninguém lá quando eu cheguei. Nenhuma santa alminha. Nenhuma plaquinha escrito 'Paula'. E como eu sou triiiiiiii organizada, esqueci o roteiro que eu tinha feito bem bonitinho com o endereço e telefone do albergue. Fui pra rua e fumei uns três cigarros. Mais uma vez a minha vontade era de pegar as minhas coisas e voltar pra minha vidinha em Gravataí. Voltei pra rua e fumei mais três cigarros. Mas go ahead! Pedi informações, procurava cartão telefônico pra ligar quando um taxista me abordou perguntando onde eu ia e se eu queria usar o telefone dele pq ele me levaria. Achei o cara um querido, liguei do cel, confirmei minha entrada no albergue e finalmente me vi chegando perto de Buenos Aires.

Tava admirada com a chegada na cidade. Tudo grande, tudo espaçoso, tudo bonitinho. Realmente é de encher os olhos. Chegando na frente do albergue o cara me cobrou a corrida: 88 pesos. Já pensei: 'putz, me engambelou. o cara do albergue ia me cobrar 60', mas foi. Saquei o dinheiro e o cara me passou o papo:
- Teu dinheiro não vale.
- Como assim?????
- Tava vendo aqui? essa aqui não vale.
Peguei outra nota de 50. Era igual. Outra. Era igual. Quando finalmente achei o que valeria...
- Pode me devolver as outras notas
- Não, pq esse dinheiro não vale
- Por isso mesmo, me devolva
- Não vou devolver e vá andando.
Pois é, fui ludibriada e roubada pelo taxista. 200 pesos a menos. Entrei no albergue, larguei as coisas no quarto, contei o ocorrido. Não lembrava o número do táxi, nem o nome do taxista. Merda. Subi pro bar do albergue. Só uma cerveja pra me animar depois de tanta coisa dando errada - some-se a isso o fato de eu ir sozinha, tendo planejado a viagem em dupla, e que eu odeio ficar sozinha muito tempo.
Quando pedi a cerveja vi q talvez a viagem pudesse ser boa. Minhas opções: quilmes (bleeeerghs), bhrama (ui) e STELLA ARTOIS!!!!! DE LITRO!!!!!!
Pois é, nesse momento as férias começaram a melhorar.

Continua...

3 comentários:

Jana Jan disse...

A dupla aqui desistiu de viajar. Mas que bah!!!
Guria, depois de todo o estresse, tá muito engraçado.
Que venham mais e melhores viagens!!!!!!!

Fernanda Souza disse...

Meu Deus, Paula! Tudo poderia ser evitado se tu tivesse seguido a recomendação de chegar 1h antes do vôo, ou melhor, 2h para vôo internacional! E pegando o avião direto tu nem ia sentir falta do cigarro de tão rápido que é!!!!

Mas no fim, sempre ficam as histórias para contar hehehehehe

Também tenho uma de taxista que não coloquei no blog ainda!

Bruna Prima disse...

MEU DEUS DO CÉU!!!!!
QUE FIGURAAAAAAAAAAAAAÇA essa guria!! Desculpa falar, prima.. mas deu pra dar umas BOAS gargalhadas da tua cara. Tipo, não que não tenha nos parecido desesperador tudo isso e tu em crise de abstinência e mais o taxista ladrão, mas quando tu diz ali "saí de casa para o aeroporto meio atrasadinha" e "como eu sou triiiiii organizada..." MEU DEUS, eu imaginei bem direitinho as cenas. É exatamente a tua cara isso!
A mãe tava contando que quando ela foi pro Uruguai (na época do cruzeiro) aconteceu isso do taxista com ela também, mas ela disse que xingou ele de tudo quanto é nome, e a mãe dele também, e o resto da família, porque ele disse que não valia nada o dinheiro, mas no fim, parece que deu certo pra ela. Viu? Não é so contigo que acontece essas desgraças! (Oh ela dizendo aqui 'ui que cara nojento'... hehehe)
Tô ansiosa pra ler mais sobre a tua viagem. Mas ô Paula, foi até bom ir sozinha... Magina a nossa família buscapé junto... ia ser bem pior, né... haha!!
Beijocaaasss, to aguardando as fotos.