28.6.07

Da série MI BUENOS AIRES QUERIDO IV

Bom, achei q tava pra terminar no III, mas não deu... então vambora

Depois de lembrar q foi o 'cão quem butô pá nóis bebe' e sacar a primeira neosaldina da viagem, me vesti e fui esperar a van q me levaria à Bombonera. Ouvi falar muito do Boca Juniors qdo um casal meeeeeeeega xeneize (ai, sério, usar 'boquense' pra torcedor do boca é meio foda... a zh q me desculpe) morou na minha casa alguns meses. Isso foi em idos do ano 2002, qdo os únicos móveis da minha residência se concentravam no meu quarto. Mas o José e a Laura eram triiiiiiii fanáticos, falavam sempre. Até criei uma certa simpatia. Que virou antipatia depois do inter tomar 8 gols em dois jogos lá, mas tudo bem. Queria ver o tal caldeirão de perto.

Do meu albergue fomos eu e um outro cara q eu nunca tinha encontrado lá dentro, mas q conhecia mais gente da van. Acabei conversando muito com o guia, q falava um português infinitamente melhor que o meu portunhol. Depois descobri que ele morou no Rio, namorou uma menina de Niterói e que também acha o Che Lagarto, do Rio pelo menos, o pior albergue do mundo.

Chegando em La Boca fomos experimentar um legítimo 'churipán' pré-jogo. Os ingressos já estavam na mão e ficamos pela rua sentindo o clima. E sentindo medo. Comecei a entender o que aconteceu com o meu time nos dois jogos que disputou lá. Cedinho entramos no estádio. Ficamos no segundo anel, mas dali já dava vertigem. As arquibancadas são superestreitas e é cheio de pára-peitos, q realmente servem ao q se propõem. Como não conhecia ninguém que tava ali junto, resolvi subir mais um pouco, ver as coisas o mais de cima que pudesse e o mais no meio do povo que aguentasse. Por sorte estávamos numa parte do estádio em que as famílias sentam pra assistir o jogo. Era só o que eu via: pouca gurizada e muito nego véio com a mulher, filhos, filhas e cumpadres. Me enganei só na parte do senta... Começou o jogo e ninguém sentou. NINGUÉM!!!!! Todo mundo de pé torcendo, cantando. Fiquei bem impressionada.

O jogo começou a ficar meia-boca, com o perdão do trocadilho. O time da casa não tava jogando nada, tampouco o adversário. Quer dizer, eles até tentaram atacar e uma bela chance de gol foi perdida pelo goleador deles. Sabe aqueles gols da série 'até minha vó fazia'? Pois é... Mas em nenhum momento a torcida sentou ou vaiou. Sempre de pé. Sempre cantando. E quando pulavam, tudo tremia. Literalmente.

Hora do intervalo. Finalmente o chão. Nessa hora descobri q tem ser rápido na bombonera. Como é que colocam tanta gente lá dentro? Dei uma olhadinha pro lado e sério, fiquei de pé. E onde as minhas pernas estavam localizadas, a minha bunda não caberia qdo resolvesse sentar. Sei lá, medo de irritar esses argentinos... Mas sentei. Permesso daqui, permesso dali e tudo certo. Tou no chão. Claro, fiquei espremida e com uma guria q eu nunca vi na vida escorada entre as minhas pernas. Nessa hora descobri a dificuldade de ir ao banheiro en la bombonera. Depois de todo mundo sentado (encaixado), qdo alguém resolve passar é um horror! Pra deixar alguém passar, tu precisa pedir desculpas pra pessoa q tá na tua frente pq precisa tirar a perna do lugar, além de aguentar a bunda alheia praticamente na tua cara enqto espera essa criatura de bexiga pequena conseguir colocar o pé no degrau da próxima arquibancada. Como diz uma colega minha do italiano: casca!

Segundo tempo a torcida voltou mais empolgada. E o time respondeu. Sério, é apavorante!!!! Não tem fosso, não tem nada q separe a torcida do campo! O cara tá cobrando o escanteio e tá todo mundo ali, pouco mais de dois metros berrando no ouvido. Dá eco! Algo impressionante mesmo... um espetáculo... uma lição pro povo daqui (e nem adianta dizer q a alma castelhada imita torcida argentina q não vale! vocês vaiaram o pobrezinho do Lucas na final da Libertadores! E isso argentino não faz! Pelo menos não xeneizes!!!!!)! Como eu disse, o time respondeu. Entrou o Riquelme (caiu o queixo: joga bola pra caralho!!!!!!!!!) e o jogo se resolveu. Terminou em 3 a 0. Belíssimo espetáculo.

No fim do jogo, pela falta de estrutura do estádio, cada um precisa esperar a sua vez de sair. A nossa chegou uma meia hora depois do fim da partida. E ae descobri onde o povo faz xixi durante o jogo... bem q eu tinha achado q tinha pouco banheiro ali! A escadaria até o fim do estádio é um mijo só!!!! Parece que se está andando dentro de um vaso sanitário! Mas um daqueles de fim de festa pra 30 mil pessoas! Um horror! Só via a gringaiada fazendo cara de extremos nojo, ameaçando vomitar... algo!

O jogo ocupou meu dia todo. Andamos por algumas partes de La Boca sem sair da van, mas logo voltamos ao albergue. Voltei feliz. Bem feliz! Satisfeita por ter assistido a um maravilhoso espetáculo de futebol, mas principalmente de torcida. E o melhor, perdoando meu time pelos oito gols tomados lá em dois jogos. Realmente, não tem como ganhar do Boca no santuário deles. Inda mais com o deus Maradona presente no jogo.

Continua...

1 comentário:

Fernanda Souza disse...

Nós queríamos ter ido num jogo, e todos recomendavam que era melhor ir com guia e tal, organizar tudo por uma agência de turismo, e parece que é melhor mesmo... Não fui na Bombonera, mas fui no estádio do Vélez, ver um show muito legal do Diego Torres :)

Ah e continua contando... eu ainda não terminei de escrever sobre as coisas que me encantaram, e olha que minha viagem foi em novembro! hehe