8.7.07

o dia em que entrei pra estatística

Beira-Rio
10/09/2007
2º tempo
Inter e Santa Cruz
Gauchão 2007
"Favor comparecer ao estacionamento proprietário do fiat uno mille vermelho placas ijo 9349!
Era eu
Putz, dessa vez, era eu. Não adiantava fugir.
Será que eu tinha estacionado na vaga do cara que tava chegando no meio do segundo tempo? Não... Ué? Brigada? Gente? Pranchetas? Que é isso?
- Seu carro foi arrombado.
- Como assim???
Sai, eu olho ao vivo. A porta do carona parecia patrocinada pelo red bull. Criou asas. Ou melhor, asa.
Começo a chorar. Afinal tou no meu direito de mulher nervosa que tem o caroo arrombado e lembra de tudo que trabalhou e passou com o carro anterior para comprar esse.
- Tudo bem, pegamos em flagrante, a senhora tem de quem cobrar
- Como assim?????
Segundo 'como assim'. Porra, coloco no pago, na vaga dos camarotes, um 'cazzo in cullo' arromba o meu carro e nada acontece??? Pior! Tenho que cobrar do maginal, é isso???
Bom, o fato é que(encurtando um pedaço toprtuoso da história) a Estapar, concessionária do estacionamento do inter, pagou. Não, não ganhei ingresso pra nenhum jogo. Mas, como foi o cara preso em flagrante, o processo correu. E fui chamada pra audiência. Ingênua, eu.
Fui lá, com a mama junto, que foi só pela companhia. O guri apareceu. Com advogado particular, um tênis nike que pagava as minhas contas do mês e duas testemunhas de caráter pra dizer que ele nunca iria no beira-rio pra arrombar um carro.
Ele arrombou meu carro. Na DPPA ele disse que queria o rádio. Se frustrou pq meu carro não tinha rádio (tadinho, roubaram antes). Ele foi preso pq uma alma caridosa, um menino, um anjo viu ele com as mãos no carro e chamou a brigada, do outro lado da padre cacique. E os brigadianos, jovens e como jovens, agiram acreditando na justiça. Era foda ver na audiência eles falando que nada aconteceria, que pra eles era foda vir das férias pra testemunhar a verdade e saber que era um guri de merda que seria solto de novo, pq não tem antecedentes.
Eu tava lá, com minhas ilusões sobre a vida, a justiça e os direitos humanos. De repente a justiça foi pro espaço. Alguém pego revirando um carro, o mesmo visto abrindo carro com as duas mãos, procurando algo de valor, já que rádio não tinha, iria pra delegacia pra nada. Um guri da Popular. Um guri que tinha tênis mais valioso que toda a minha vestimenta junta. Guri que tinha mais dinheiro que eu qdo foi preso. Um guri com quase a minha idade. Um guri que não tinah terminado o primeiro grau. Ai, sou velha, desculpem, o ensino fundamental. Pq ele virou ladrão??? Pq eu virei jornalista???
Sei lá. Muitos motivos, como ele.
O fato é que minha ficha é limpa. Vou aos jogos do meu time pagando ingresso. Sempre (nem sempre pq quero, mas se quero vê-lo e esse é o preço, eu pago). Terminei o segundo grau com 16 anos anos. Fiz o vestibular com 16. Comecei a trabalhar muito antes disso. Nunca pensei que pegar algo de alguém fosse alternativa. No máximo alcançar pq caiu no chão. Sempre achei que direitos humanos era o que precisava um país que viveu o pior de uma ditadura. Mas vi que uma geração, ou duas, se aproveita disso.
E é nessa hora que eu largo o sistema judiciário de mão. É nessa hora que me junto a tantos, além da brigada e digo: a polícia prende, o judiciário solta.
Pior, não solta só o merda que arrombou meu carro. Solta tantos outros. Mais ainda. Solta quem compra uma bezerra a 300 mil num país de milhões de miseráveis sem desconfiar em momento algum. Sério, tem vezes que é difícil e triste ser brasileira...

3 comentários:

Lafayette disse...

Fale corujinha, você foi a primeira a comentar... e acho que será a única! rsrsrsrs

Tava de saco cheio com a uol...

Você disse: "Sempre achei que direitos humanos era o que precisava um país que viveu o pior de uma ditadura. Mas vi que uma geração, ou duas, se aproveita disso."

Acertou em cheio!

Conheço um constituinte (aquele cidadão notável que participa da eleboração de uma Constituição), o Dr. Mestre-e-gente-boa Zeno Veloso.

Certa vez, falando sobre isso com ele, de como a constituição é utópica, é protecionista etc etc, ah, e que tem um artigo, o 5º e seus incisos e alíneas, que, não raro, É MAIOR QUE MUITAS CONSTITUIÇÕES COMPLETAS DE OUTROS PAÍSES, ele me disse que tinha que sair assim mesmo.

Que era muito difícil, logo após a saída de uma ditadura, onde, vários constituintes que tinham sido perseguido e sofrido pela dita e dura polícia, elaborar uma Carta sem os arrobos utópicos.

Abastavam pensar em serem mais realistas, que aparecia alguém, mostrando marcas de tortura, para voltarem à utopia social.

Ensinou-me que, sempre foi assim. Na história, toda vez que um país sai de um regime de controle, a Lei Maior posterior é uma desgraça em termos práticos.

O que precisamos agora, é uma reformulação, já que, com você bem disse: as gerações futuras, que não sofreram a pressão, e nem tiveram pais que a sofreram, começam a se valer de uma dor que, nem de perto, conheceram.

Ah de novo. Não estou me arrependendo do wordpress. Cada dia discubro uma coisita nova. É supimpa e de pasmar!

Abraços.

Lafayette disse...

Ah três. Muda o link do olg ali do lado, please!

Corujinha disse...

bom revê-lo!!!
E já tá atualizado!
Volte sempre
:)