12.7.07

Da série MI BUENOS AIRES QUERIDO V

Bom, lá vamos nós de novo.

Logo que cheguei em Buenos Aires ainda tava meio chateada da coisa de fazer tudo sozinha. Bom, com o tempo a gente acostuma. E se é só assim que a coisa rola, a gente dá um jeito de gostar.

Caminhadas, caminhadas, caminhadas. Saía da avenida de mayo e ia a palermo, dava voltinhas na recoleta, olhava o mapa pra ver o que tinha de interessante a ser visitado e... pernas pra que te quero!

Também já não estava tão travada pra conversar com a galera (sóbria). Já tava parecendo a bandeira do divino do albergue: todo mundo sabia o meu nome, alguns só me chamavam de brasileira, outros entenderam a piada e berravam um sonoro 'owl' qdo queriam bater um papinho.

Mas como tudo que tá bom pode ficar ruim...

Esse tinha sido o dia mais gelado da minha estada portenha até agora. E antes dessa neve dessa semana, o dia mais frio. E eu faceira caminhando na rua! Mas era muuuuuuuuuuuuito frio! E claro que eu não tava com roupas suficientes... claro q eu não tinha um hidratante... e claro que nem manteiga de cacau ou coisa que o valha. Passando em frente à 'flor' na praça grécia senti que algo se instalava em mim! Era a maledeta gripe! Era de graça mesmo... resolvi pegar uma!

Voltei pro albergue virada num bagacinho... Cheguei e deitei. Não tive disposição pra fazer mais nada. Sentia como se tivesse sido atropelada por um caminhão que, não satisfeito, deu ré e passou por cima de novo. O que me fez concluir que eu sempre fico doente quando viajo! No Rio ano passado foi a mesma coisa! Eita lembrancinha de viagem danada de ruim!

Dormi um pouco e fui pro boteco do albergue. Chegando lá o guri que atende já se atencipou:
- Una Stella!
- No, un jugo… sin hielo

A gripe pegou mesmo. Fiquei um tempinho ali e não conseguia nem pensar em sair pra rua. Tava todo mundo meio parado mesmo... claro, menos meus queridos roommates... eles se foram pra festa! Beleza, eu teria uma boa noite de sono pra curar o gripão.

Umas 3h acordo com o barulho de um dos habitantes do meu quarto chegando e deitando. Faltavam dois. Umas 5h acordo com barulho de risadas e tropeços e coisital. Olho e três pessoas entram no quarto. Me viro e vou dormir. Opa! Três? Mas faltavam só dois...

Tinha uma menina a mais. E ela tava bebacha. Parece gozação eu falando isso, mas não lembro de ter ficado naquele estadinho... Ela deitou na cama da aisha, q tratou de expulsá-la pra cama do josh (o cara que chegou mais cedo). Eles mal se conheciam, o guri acordou meio assutado e a garota já lhe tascou um beijo e convidou ele pra transar. E eu acordada, ouvindo e pensando: 'ai, meu deus, não sejam sem noção'... Pois é, mas eram. Qdo vi a aisha tava na cama do outro guri (coincidentemente a cama de cima do meu beliche) e o bicho pegando na cama do josh. Fiz uns barulhos pra ver se eles lembravam q não tavam sozinhos no quarto e tal, mas tudo inútil. Qdo vi que a coisa ia pras vias de fato mesmo me irritei e levantei. Gripão, 5h30 e nada de poder dormir.

Fui pro computador esperar o meu amor chegar do trabalho no japão. Mas tava puta da cara. E queria acordar pra falar com ele, mas me programei pra fazer isso às 7h, não às 5h30!!! E não por causa de um bando de americanos sem noção! Eu tava com uma raiva... Que acabou passando qdo falei com ele... a saudade era muuuuuito maior que a minha raiva!!! E fiquei feliz por poder passar horas conversando com quem amo.

Qdo era hora do amorzinho dormir, afinal ele acorda cedo, desci pro café da manhã. Quando voltei pro quarto vi quem era a tal menina... era uma que na noite anterior falava mal das brasileiras, dizendo que somos praticamente prostitutas, que transamos com todo mundo, que temos múltiplos amantes ('pq eu tenho uma amiga que já morou no brasil que me disse que é assim... uma orgia'). Eu nunca falei com a guria. Acho que ninguém disse q eu sou brasileira pra ela. Escutei aquilo tudo, mas tava tão doente que nem dei bola. Muita gente pensa isso mesmo. Agora, falar isso das brasileiras e se atirar na cama de um desconhecido pedindo pra transar, sinceramente... não dá, né?

Eles infernizaram minha noite doente de sono... mas tudo tem volta nessa vida, não é mesmo?

Continua...

2 comentários:

Fernanda Souza disse...

Quando eu fui tinha sol e aquele ventinho que resseca a pele, sabe? Bom para não ficar muito calor, mas péssimo para os lábios. Foi uma dificuldade pedir uma manteiga de cacau na farmácia! Ninguém entendia! Até que conseguimos nos entender e até hoje tenho a minha manteiga argentina que além de cacau tem gosto de café!

E essa guria aí, sem noção! Pior do que pedir para transar, foi pedir isso num quarto coletivo!

Corujinha disse...

minha pele voltou que era um trapo de lá... minha boca passou sangrando, uma coisa... o foda mesmo foi o friozão! bah! peguei temperaturas negativas lá! coideloco! hehehehehehe